quarta-feira, 15 de maio de 2019

Nova geração de consoles para 2020 - O que esperar

Games Análise
Por Fábio Alves


Uma nova geração de consoles esta chegando com grandes expectativas para as novidades tecnógicas que sempre trazem. Os sucessores dos consoles atuais vem com o PlayStation 5 e o novo Xbox, onde espera-se uma evolução tanto em capacidade gráfica e de processamento, quanto em novas experiências em jogabilidade. Assim quero trazer as ultimas novidades pré E3 2019 onde muita coisa deve ser mostrada lá.



Novo Playstation

Recentemente Mark Cerny, engenheiro que projetou o PS4 e está responsavel pelo novo Playstation divulgou detalhes em uma entrevista recente. Em parceria com a AMD, o vindouro PS5 trará uma CPU baseada na terceira geração do chip da linha Ryzen, contendo oito núcleos com a nova microarquitetura de 7 nanometros Zen 2 da empresa chegando próximo a 16 teraflops. A GPU terá suporte a Ray Tracing, tecnologia que simula o comportamento dos raios de luz em ambientes 3D, oferecendo reflexos, distorções e outros efeitos realistas. 



Cerny explicou que a aplicação do Ray Tracing no PS5 vai além de implicações gráficas, influenciando tambem em um áudio mais impactante e realista. A grande novidade por enquanto é o drive SSD, que promete melhorar significativamente a performance do console e eliminar tempo de carregamento nos jogos, além da retrocompatibilidade com o PS4. Além de rodar conteúdo interativo em 8k mas focando jogos em 4k a 60fps. E acredito que alguns jogos que estão para chegar na reta final do PS4 deverão ter um porte de lançamento para o PS5, como Death Stranding, The Last of Us: Part II e Ghost of Tsushima.



Novo Xbox

Com certeza na E3 2019 a Microsoft irá mostrar o novo Xbox e especulações não faltam a seu respeito. Apesar de não haver dados divulgados oficialmente, especula-se que podem haver três modelos em desenvolvimento para atender públicos variados, um modelo focado mais em mídias digitais, outro com suporte a discos Blurays e outro intermediário. Com o codinome provisório de Scarlett, espera entregar 4k com 60fps e retrocompatibilidade com Xbox anteriores. Quanto ao seu processamento seria similar ao PS5 com tecnologia Zen 2 da AMD além de GPU compatível ainda a ser revelada.






Quanto aos jogos ela tem um grande trunfo nas mãos que foram a contratação recente de inúmeros estudios sobre sua gerência, que prometem trazer grandes exclusivos para a plataforma. Os jogos futuros previstos são Halo Infinite, Starfield, novo Forza, novo Call of Duty e Gears of War 5, que deverá sair para ambas as gerações.




E a Nintendo?



Especula-se que poderá lançar a médio ou longo prazo uma revisão de seu atual console de sucesso Switch, com upgrades de processamento ou mesmo uma modificação de seu hardware para uma versão mais compacta. E continuará correndo por fora com seus grandes sucessos exclusivos e grandes franquias como Metroid Prime, The Legend of Zelda e Pokemon. 




Então fica a grande expectativa para a nova geração, com novos serviços e novas tecnologias que nos surpreendam mais uma vez.

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Asteroides - O que são e quais as reais ameaças

Curiosidades
Por Fábio Alves





O que são?

Os asteroides são corpos rochosos e metálicos que possuem uma órbita definida ao redor do Sol. Fazem parte dos corpos menores do sistema solar geralmente com algumas centenas de quilômetros sendo que alguns possuem até satélites naturais orbitando-os.






Ceres é o maior asteroide conhecido, possuindo diâmetro de aproximadamente novecentos quilômetros. Mas desde 24 de Agosto de 2006 passou a ser considerado também um planeta anão. Eles possuem brilho variável, o que é explicado pela sua forma irregular, que reflete como um espelho a luz do Sol em diversas direções. Os asteroides estão concentrados em uma órbita cuja distância média do Sol é de cerca de 2,1 a 3,2 unidades astronômicas, situando-se entre as órbitas de Marte e Júpiter. Esta região é conhecida como Cinturão de Asteroides, sendo a fonte de pequenos corpos.







Alguns asteroides podem ter órbitas muito excêntricas, aproximando-se periodicamente dos planetas Terra, Vênus e Mercúrio. Os que podem chegar perto da Terra são chamados EGA ("earth-grazers" ou "earth-grazing asteroids"). Um deles é o famoso Eros. Há muitas técnicas utilizadas para se estudar suas características físicas: fotometria, espectrofotometria, polarimetria e radiometria no infravermelho. 








A superfície da maior parte deles é comparável à dos meteoritos carbônicos ou dos meteoritos pétreos. Segundo as teorias mais modernas, os asteroides seriam resultado de condensações da nebulosa solar original, mas que não conseguiram aglomerar toda a matéria em volta na forma de um planeta devido as perturbações gravitacionais provocadas pelo gigantesco planeta Júpiter. Outra teoria afirma que existia um planeta que foi destroçado pela sua proximidade com Júpiter, gerando esse cinturão.




Ameaças a Terra


Grandes asteroides com até um quilômetro de diâmetro podem se aproximar mais de 10 vezes a uma distância perigosa da Terra nos próximos 32 anos, informou o Antistikhia, Centro Russo de Monitoramento e Previsão de Emergências Naturais e Antropogênicas. Segundo eles até 2050 são esperados 11 eventos de asteroides se aproximando a uma distância menor do que o raio médio da órbita lunar (385 mil quilômetros). O tamanho dos corpos celestes variam entre 7 e 945 metros.








O asteroide mais perigoso é o 99942 Apophis, de 393 metros de diâmetro. Em 13 de abril de 2029, o astro passará a 38,4 mil quilômetros da Terra, que praticamente corresponde à órbita dos satélites geoestacionários (35,8 mil quilômetros), a uma velocidade de mais de 26.000 Km/h. 






A NASA divulgou uma animação em vídeo que explica melhor o percurso previsto do Apophis: vê-se a Terra ao centro, a deslocação da Estação Espacial Internacional na sua órbita (a roxo), vários pontinhos verdes que representam os satélites construídos e lançados ao espaço pelo homem e o asteroide a passar no limiar da zona ocupada pelos satélites.






O chefe da NASA, Jim Bridenstine, disse que "Temos de usar os nossos sistemas, usar as nossas capacidades para obter finalmente muito mais dados, e devemos fazer isso mais rapidamente. Sabemos que os dinossauros não tinham um programa espacial. Mas nós temos, e precisamos usá-lo", e relembrou o meteoro de 20 metros que explodiu sobre a cidade russa de Chelyabinsk em fevereiro de 2013, a 22.500 metros acima da superfície terrestre, que caiu com um enorme trovão, soprando janelas, danificando milhares de edifícios na área e ferindo cerca de 1.500 pessoas com vidro despedaçado em sua maioria.




Na semana passada, a NASA anunciou união com parceiros internacionais para realizar exercícios teóricos sobre como lidar com um asteroide hipotético que se move rumo ao planeta Terra, além de estar se preparando para a sua primeira missão de redirecionamento de asteroides por naves espaciais, designada Teste de Redirecionamento Duplo de Asteroides (DART, na sigla em inglês), que está marcada para junho de 2021.



domingo, 14 de abril de 2019

Santo Graal - Artefato real ou lenda?

Curiosidades
Por Fábio Alves



O Santo Graal é um dos artefatos religiosos mais misteriosos do mundo. Essa relíquia trata-se do suposto calice que Jesus Cristo teria utilizado em sua última ceia com seus apóstolos. Tambem é uma expressão medieval adotada na literatura em que José de Arimateia colheu o sangue de Jesus durante a crucificação. A origem do Santo Graal é muito anterior ao cristianismo, existindo o termo entre os Celtas. A primeira referência a ele aparece num poema onde conta a busca do rei Arthur e seus cavaleiros por um recipiente mágico, na qual poderia dar novo sabor a alimentos, vida e vigor às pessoas. 





A questão é que quando esta lenda aparece durante a Idade Média, ela passa por um processo de cristianização. E neste contexto, o recipiente mágico que traria novamente vida e prosperidade num período de miséria novamente a Camelot, se torna o Santo Graal. Mas será que ele existe mesmo? Como ele seria? Onde poderia estar atualmente?





Constituíção



Há muitas formas e relatos de como seria o calice de Cristo. Mas um consenso é que teria uma forma rústica e simples por ter sido usado por pessoas comuns da época do seculo I. Não teria adereços ou algum trabalho artesanal em sua constituição. Seria primariamente feita de barro com algum tipo de acabamento que mantivesse sua estrutura. Seria de pequeno tamanho e pouco chamativo. 








Há inumeras outras interpretações sobre o que seria o Graal, até mesmo que seria a representação do corpo de Maria Madalena. No conto "Parzifal", o alemão Eschenbach coloca na mão dos Templários a guarda do Graal que não é uma taça, mas sim uma pedra preciosa trazido dos céus pelos anjos.






Origem


A etimologia do Santo Graal tem inúmeras procedências, dentre as quais compara-se San Graal com SanG Real em referência ao imaculado sangue de Cristo coletado em um gradalis - cálice em latim. Com o brilho resplandecente das pedras sobrenaturais, o Graal, na literatura, às vezes aparece nas mãos de um anjo, às vezes aparece sozinho, movimentando-se por conta própria. Porém, a experiência de vê-lo só poderia ser conseguida por cavaleiros que se mantivessem castos. 






Transportado para a história do Rei Arthur, onde nasce o mito da taça sagrada, encontramos o rei agonizante vendo o declínio do seu reino. Em uma visão, Arthur acredita que só o Graal pode curá-lo e tirar a Bretanha das trevas. Manda então seus cavaleiros em busca do cálice, fato que geraria todas as histórias em torno da Busca do Graal.





A primeira referência literária ao Graal é "O Conto do Graal", do francês Chrétien de Troyes, em 1190. Tratava-se de um poema inacabado de 9 mil versos que relata a busca do Graal, da qual Arthur nunca participou diretamente, e que acaba suspensa. Um mito por si só, "O Conto do Graal" é uma obra de ficção baseada em personagens e histórias reais que serve para fortalecer o espírito nacionalista do Reino Unido, unindo a figura de um governante invencível a um símbolo cristão



Destino

Mais de 200 itens apenas na Europa disputam o título de Santo Graal, onde teorias do destino final da relíquia estão espalhadas desde a Escócia até Maryland nos EUA. Porém há um lugar que pode ser considerado intrigante para portar a relíquia nos dias de hoje. A espantosa Catedral de Valência, na Espanha guarda o chamado cálice de Valência. Ele atrai peregrinos de todo o mundo e foi usado em cerimônias pelos papas João Paulo II e Bento XVI. 




Com duas enormes alças de ouro e uma base incrustada de pérolas, esmeraldas e rubis, o cálice é majestoso e deslumbrante. Mas o calice verdadeiro é meramente a peça no topo, uma taça lavrada com ágata e polida com mirra. As alças e a base, que têm marcas do artesanato medieval, foram adicionadas muito mais tarde. Dentro da Catedral de Valência, em uma pequena e discreta sala lateral, envolto em vidro encontra-se o cálice repousado sobre um pedestal de ouro iluminado. E na sua inscrição esta bem claro que essa foi a taça usada por Jesus Cristo durante a Última Ceia, o Santo Graal.