quinta-feira, 18 de julho de 2019

50 anos do primeiro Homem na Lua

Curiosidades
Por Fabio Alves



Esse ano, mais precisamente em 20 de julho de 2019 fará 50 anos que o homem pisou na lua pela primeira vez. O astronauta americano Neil Armstrong e sua equipe concretizou um dos maiores sonhos da humanidade. 



A preparação 

Desde o final da segunda guerra mundial cogitava-se o projeto de ida a lua. Com o início da guerra fria entre os EUA e União Soviética os embates se acirraram e a corrida espacial foi mais uma das disputas. Principalmente por ter sido os soviéticos a terem colocado o primeiro humano em órbita da terra. O presidente americano John Kennedy em seu emblemático discurso de 1961 diante do congresso americano, estabeleceu a alunissagem como meta até o final daquela década.
 




Foram várias missões de preparação até a Apollo 11 fazer o espantoso pouso na Lua. Uma preparação minuciosa para um feito realizado pelo experiente piloto Neil Armstrong e seu companheiro Edwin Aldrin ambos com 38 anos. Michael Collins, o terceiro homem da tripulação, acompanhou tudo de seu módulo a 96 Km de altura. 






O pouso histórico 


Em torno de 850 jornalistas de 50 países registraram o acontecimento. Cerca de um bilhão de pessoas assistiram pela Tv quando Armstrong deu seu primeiro passo na lua. ‘As 23h e 56min do dia 20 de julho de 1969, Neil Armstrong, recuperado de um escorregão ao sair do módulo pousado, ergueu seu pé esquerdo e marcou o solo lunar no Mar da Tranquilidade, planície escolhida para alunissagem. 








A famosa frase ecoou pelo mundo: “Este é um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a Humanidade”. Vinte minutos depois Aldrin se uniu a ele, espantado com a baixa gravidade e facilidade de movimentação. 








Os dois astronautas ficaram 2h e 10min no Mar da Tranquilidade. Após estearem a bandeira americana e fazerem um novo discurso afirmando representar toda a humanidade, receberam os cumprimentos do presidente Nixon e colheram 27 kg de pedras e pó. E instalaram um sismógrafo, um refletor de raios laser, uma antena de comunicação, um painel de estudo solares e uma câmera de TV. Após o módulo Eagle se acoplar com sucesso ao de Michael Collins em órbita, retornaram a terra chegando em 24 de julho de 1969 mergulhando nas águas do Pacífico Sul, perto da Polinésia, concretizando uma das maiores aventuras e fantasias da humanidade. 




O legado 

Passados 50 anos hoje é admirável a proeza técnica que conseguiram com os recursos da época. Desde a capacidade de cálculos físicos, desenvolvimento de uma engenharia aeroespacial e perícia humana dos pilotos, tudo se intercalou com maestria para a conquista. Não quero entrar em detalhes técnicos pois há inúmeros documentários detalhando as etapas do projeto, mas cabe ressaltar que foi uma missão tão arriscada e dramática que por alguns segundos o combustível não seria suficiente para a alunissagem, por exemplo.

 





Independente das inúmeras teorias de conspiração contestando a ida do homem a lua, e algumas até muito intrigantes, foi um feito extraordinário para humanidade não apenas cientificamente mas um exemplo de superação e determinação.

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Batman 1989 - Revisitando após 30 anos


Filmes Análise
Por Fábio Alves


Batman de 1989 não é só um filme clássico de super herói mas um que redefiniu a industria. Prestes a completar 30 anos de seu lançamento em outubro desse ano, pavimentou o caminho para chegarmos até esse gênero do cinema que fatura bilhões atualmente.



Os filmes de super heróis no cinema dos anos 80 eram bem restritos. Iniciando no final dos anos 70 com o icônico Superman, a Warner dominava com o escoteiro azul e nem sinal da Marvel. E a ordem natural de popularidade seria levar Batman aos cinemas em uma versão modernizada. E tudo veio a acontecer com a renovação do personagem nos quadrinhos na metade dos anos 80 com a impressionante graphic novel “O Cavaleiro das Trevas retorna” de Frank Miller. 










Trouxe uma visão muito mais violenta e sombria do herói, com ares quase sobrenaturais de um ser que trazia medo aos criminosos. E essa versão foi a escolhida para ir ao cinema. Tim Burton, um diretor promissor e autoral foi o escolhido para trazer o vigilante para as telas e não decepcionou visualmente. 









O filme é estranhamente noir, gótico, gangster e até mesmo distópico com uma Gotham City única, mas tudo se combina em um ambiente sufocante e intrigante.









Michael Keaton foi o escolhido para interpretar o herói de baixo de críticas dos fãs mais fervorosos. Mas curiosamente o ator de estatura média e sem estereótipos entregou um Batman\Bruce Wayne austero e reservado, como deveria ser. E hoje é considerado um dos melhores interpretes do herói. 









Mas nada como reapresentar seu maior inimigo e o Coringa teria de estar no projeto. Interpretado por um entusiasmado Jack Nicholson , trouxe um Coringa as vezes exagerado, as vezes genial, mas condizente com a ambição do personagem levando a surtos de loucura e devaneios. 







A personagem Vicky Vale serve como ponte ao mundo real e curiosamente o filme se apóia nela várias vezes como ponto de vista de tudo que esta ocorrendo. Assim como o veterano ator Michael Gough traz um mordomo Alfred extremante humano e relutante às ações de seu protegido. O filme traz ação na medida certa mas sem exageros, com destaque para o incrível batmóvel e um jato estilizado como um morcego que rendem os melhores visuais do filme. 






Mas muitas coisas não funcionaram, como a escolha do Coringa como autor do assassinato dos pais de Bruce Wayne ou mesmo algumas liberdades do diretor que irritaram os fãs. Até mesmo o uniforme foi controverso. Ele funciona mais de forma estática, em belas fotos do que em movimento. Mas é extremante orgânico seu visual e o icônico simbolo amarelo com o morcego ao centro esta presente e é uma marca registrada dos quadrinhos dos anos 80 e 90 do morcego. 








O filme foi um sucesso no lançamento, faturando mais de US$ 400 milhões em bilheteria sendo um recorde pra época. Além de ter ganho um Oscar e gerado uma das melhores animações já feitas: Batman – A Série Animada. Sua sequência, Batman – O Retorno de 1992 também realizada pelo mesmo diretor e Michael Keaton é considerada por muitos críticos como um filme melhor e mais desenvolvido. Mas eu particularmente fico com o filme de 89, pela sua importância para o gênero, pelos visuais mais sombrios e por um Batman de poucas palavras mas de ação na medida certa.


 



sábado, 1 de junho de 2019

Mistérios do Mundo - Oak Island

Curiosidades
Por Fábio Alves



Quem gosta de mistérios do mundo com certeza já ouviu falar de Oak Island. Seja pela série de sucesso do History Channel ou por pesquisas mais recentes que mapearam quase toda a ilha, o grande mistério que envolve o local de possíveis ocultamentos de tesouros ainda continua. Irei iniciar uma série de artigos sobre os grandes mistérios do mundo e Oak Island esta entre os maiores atualmente.





Oak Island (Ilha de Carvalho) é uma ilha de 57 ha (en torno de 570 mil m2, cerca de 60 campos de futebol) localizada Condado de Lunenburg, na parte sul da Nova Escócia, no Canadá. Muitos acreditam que nessa pequena ilha do Oceano Atlântico está enterrado o tão falado tesouro dos Templários, o mesmo que fez com que o rei francês Filipe, o Belo, destruísse a ordem.





Uma descoberta intrigante

Em 1795, o adolescente Daniel McGinnis perambulava na ilha de Oak Island quando cruzou com uma curiosa depressão circular no solo. Sobre a depressão estava uma árvore e em um de seus galhos havia uma polia de navio. Como já tinha ouvido falar de estórias de piratas naquela região, decidiu voltar para casa e retornar depois para investigar o local. McGinnis e seus amigos John Smith e Anthony Vaughan retornaram ao local e o que descobriram deixaram-nos atônitos. Logo abaixo da superfície havia uma camada de cascalho cobrindo um poço com 3 metros de profundidade onde encontraram uma camada de tábuas de carvalho, comum na Europa. Mais ao fundo, encontraram mais tábuas dificultando a exploração e não podendo continuar sozinhos, decidiram voltar depois com mais recursos. 



Tentativas de escavação

Após 8 anos voltaram com a The Oslow Company, equipe fundada com a meta de escavação. Continuaram descendo até 27 m, encontrando uma camada de cascalho a cada intervalo de 3 m. Mesmo com as camadas, aos 12 m uma camada de carvão foi encontrada. Aos 15 m uma camada de piche, e a 18 m uma camada de fibras de coco. A 27 m escavados, a mais intrigante prova de que alguma coisa estava enterrada ali fora encontrada: uma pedra com inscrições em um alfabeto misterioso. Uma das possíveis traduções seria: "Quarenta pés abaixo, dois milhões estão enterrados." Mas depois de tirar mais uma camada de tábuas de madeira a 27 m de profundidade, água começou a inundar o poço onde encheu até o nível de 10 m no dia seguinte. Ou seja, uma armadilha engenhosa. 


Como bombear não funcionava, no ano seguinte um novo poço foi cavado 30 m mais abaixo onde um túnel passava por cima do já batizado "Poço do Dinheiro". Mas a água inundou também o novo poço escavado, e foi tudo largado por 45 anos. Começava aí um grande mistério pois essa engenhosa armadilha foi descoberta e surpreendeu a todos. Por mais que a água fosse bombeada, o poço era novamente preenchido pelo mar. Descobriu-se então uma pequena parte do intrincado plano dos construtores desconhecidos do poço para manter as pessoas longe de seu conteúdo e supostos tesouros.








Em 1849 uma nova companhia chamada The Truro Company descobriu que os idealizadores do poço criaram um sistema de drenagem espalhado por 44 m de distância da praia. O efeito disso é um sistema de filtragem que mantinha os canais limpos e que esses canais subterrâneos encontravam o "Poço do Dinheiro" numa profundidade de 33 m. Assim para a Truro Company, a resposta agora era simples: bloquear a água que vem da praia e cavar o tesouro. Sua primeira tentativa foi construir uma represa fora da praia e drenar a água para depois desmantelar os canais de drenagem. Infelizmente uma tempestade destruiu a represa antes de estar pronta desfazendo todo o plano.



Em 1893 uma nova companhia, a Treasure Company decidiu que só conseguiriam acessar o poço, selando a água da Smith's Cove, como ficou conhecida, dinamitando o túnel de inundação. Cinco cargas foram ajustadas em buracos perfurados perto do túnel de inundação mas não funcionou: a água jorrou mais forte ainda. Ainda assim inseriram uma sonda para retirar algum material e descobriram um intrigante domo de concreto e tiraram uma pele de carneiro com inscrições que remetem segundo teorias aos manuscritos de Shakespeare, aumentando ainda mais o interesse. Posteriormente foi descoberto um segundo túnel de inundação, que ficou comprovado ser uma armadilha para proteger algo valioso e não queria que ninguém chegasse perto. Entre 1900 e 1936 muitas tentativas foram feitas para obter o tesouro, todas sem sucesso.















Descobertas recentes





Daniel Blankenship, que faleceu recentemente, começou suas buscas em 1965. Ele ultrapassou os 13 m originais encontrando desde pregos, um lavatório, uma tesoura de 300 anos e uma pedra em forma de coração, muito parecida com uma outra encontrada num tesouro pirata no Taiti. 







Mas a maior descoberta foi em 1976, quando a empresa Triton cavou algo que hoje é conhecido como escavação 10-X: Um tubo de metal de 72 m afundado 55 m a nordeste do Poço do Dinheiro. Uma câmera foi colocada nesse tubo descobrindo uma suposta mão decepada flutuando na água e depois algo que pareciam ser 3 baús para tesouros ou ferramentas além de um corpo humano. Mergulhadores iriam averiguar mas as fortes correntes e pouca visibilidade tornou impossível qualquer atividades. Após estas descobertas, houve um colapso nas paredes do buraco e ele nunca mais foi reaberto. 





Em 2 de Janeiro de 2006, após 40 anos de sonhos frustrados, Dan Blankenship e David Tobias decidiram fechar seus negócios e colocaram a ilha à venda, sendo comprada por Marty Lagina e pelo seu irmão Rick Lagina, onde pode ser acompanhada suas explorações atuais na série "A Maldição de Oak Island" pelo History Channel. Pode se dizer hoje que aparentemente templarios franceses estiveram na ilha e teriam enterrado seus valiosos tesouros no local. 




Mas muitas perguntas ficam: Como conseguiram ocultar tão bem esses supostos tesouros com recursos da época com armadilhas extremamente engenhosas? Pois hoje, com nossa tecnologia atual, há uma imensa dificuldade em localizar ou chegar a essa profundidade. Atualmente os irmãos Lagina estão gastando uma pequena fortuna na exploração e ainda sem retorno de um tesouro efetivo. Mas espera-se uma descoberta que entre para os livros de história desvendando mais um mistério do mundo.