domingo, 27 de março de 2016

Twin Peaks - Crítica

Séries Crítica
Por Fábio Alves

Quando o seriado Twin Peaks estreou na Tv americana nos anos 90 o mundo era bem diferente. Sem a velocidade das mídias de hoje em dia e com limitações de marketing foi uma grande surpresa o fenômeno televisivo que se tornou sendo considerada até hoje como uma das melhores séries já criadas.

Produzida e escrita por Mark Frost e David Lynch, trouxe para a TV uma narrativa cadenciada e misteriosa em torno de personagens ambíguos mas extremamente cativantes. Tudo girava em torno do assassinato da estudante Laura Palmer, já encontrada morta nos primeiros minutos do primeiro capítulo e também pela apresentação do protagonista Dale Cooper, interpretado corretamente por Kyle MacLachlan, em que atuava como um agente do FBI excêntrico e perfeccionista.

 As paisagens bucólicas e interioranas da série, com uma natureza belíssima que incluíam cachoeiras e uma densa floresta (a vinheta de abertura dos episódios é fantástica e icônica) trazia um clima todo único para a série. Como já citado, a ambiguidade dos personagens era uma das coisas mais marcantes. Desde a investigação do misterioso assassinato até relações comerciais e duvidosas de seus empresários locais com seus momentos de "luz e trevas", sempre era surpreendente a cada capítulo. Com muitas tramas paralelas, acredito que não cansava o telespectador da época visto ser uma novidade narrativa. Como assisti recentemente, temos hoje uma nova dinâmica e torna-se bem arrastado alguns arcos.


A primeira temporada teve apenas sete capítulos e a trama seguiu em descobrir o assassino e desmascarar vários segredos dos moradores locais. É curioso quando se inicia o seriado que não se espera nada além de uma investigação corriqueira. Mas tudo ganha ares sobrenaturais e até mesmo surreais, quando o agente Cooper descobre sobre uma "entidade" que vive na floresta e interfere na vida dessa cidade fictícia. E esse arco vai por toda a série, incluindo uma segunda temporada de 22 longos capítulos e com um desfecho surpreendente e inconclusivo. (Ainda teve um filme prequel de 1992: Twin Peaks: Fire walk with me).



Desfecho esse que espera-se que seja elucidado com o surpreendente anúncio de uma nova temporada para 2017, 25 anos depois. Boa parte do elenco principal está de volta, incluindo o ator Kyle MacLachlan e seu criador David Lynch. Assim o holofotes irão se voltar novamente para aquela misteriosa cidade e seus excêntricos cidadãos. E minha opinião é que vale a pena assistir ao seriado original pela trama nada convencional e com surpresas a cada capítulo. E a nova temporada que promete concluir a trama que ficou pendente, e que os fãs debatem até hoje. Até mais !

Nenhum comentário:

Postar um comentário