sexta-feira, 1 de abril de 2016

Batman vs Superman A Origem da Justiça - Análise e futuro do Universo DC no cinema

Filmes Análise
com spoilers da hq e do filme
Por Fábio Alves
Quando foi anunciado o projeto três anos atrás criou-se instantaneamente um misto de expectativa e ao mesmo tempo de dúvida se funcionaria os dois ícones dos quadrinhos no mesmo filme. Batman vs Superman foi apresentado com o pronunciamento de uma das frases mais famosas ditas na hq de Frank Miller, O Cavaleiro das Trevas. Ali, em seu confronto final contra o Superman, ele quis demonstrar que é necessário coragem e ser um homem honesto e de cara limpa ao defrontar um governo opressor que se situava na época. Governo esse que estava representado na figura do Superman.


Então ao mesmo tempo em que ele dava uma lição ao escoteiro azul, sendo que ele não precisava se submeter a isso e ser um soldado desse governo, Batman mostrava que as vezes um homem pode fazer diferença numa causa. Resumindo a clássica hq, o Superman é enviado pelo governo americano para parar o Batman que voltou a ativa diante de uma escalada absurda de violência em Gotham. Mas essa intervenção nas atividades do Batman decorre de um  acordo/lei feito a dez anos atras pelo governo americano em que todos os heróis ou meta humanos fossem identificados e não poderiam mais usar seus poderes. Secretamente e usufruindo dos poderes do Superman em conflitos militares, esse governo determinou essa nova política mundial e o Batman foi o primeiro a quebrar esse acordo.  Juntando toda a paranoia da guerra fria dos anos 80 e esse contexto, assim esta criado o mitológico confronto entre os dois. Batman foi o único que não concordou com esse acordo e foi repreendido severamente pelo Superman antes do confronto físico final.


Esse cenário complexo não está presente no filme. Aí esta o primeiro ponto a ser observado e muito bem lembrado pelos críticos. Não há um peso dramático e histórico que leve ao confronto. Tudo acaba ficando raso e questionável. Bruce Wayne,  quando corria pelos escombros de Metrópolis já cria uma raiva descontrolável pelo Superman. O mesmo, querendo ou não,  esta defendendo o mundo daquela ameaça alienígena. Então aí já cria um paradoxo e o Batman não esta 100% certo. Mas estou aqui para defender o filme pois acho que teve mais pontos positivos que negativos. Na verdade ele deve ser assistido com outro ponto de vista. Deve ser esquecido principalmente pelos fãs essa complexidade da hq em que é inspirado o confronto. Tudo deve ser mais imediato porque o objetivo da Warner/DC é criar o universo da Liga da Justiça. 


Assim não se deve apegar tanto à detalhes que não levam a nada. Os uniformes estão lá, perfeitos. Os atores também. Com destaque para Ben Affleck que surpreendeu com um Batman mais complexo e impaciente. O Superman, por não ter uma postura definitiva no mundo e criticado pela mídia e população fica resignado e isolado. Acredito que com a formação da Liga da Justiça ele venha se tornar o líder que os críticos não enxergaram no filme. O restante é fã service com os outros personagens da futura liga. Há falhas terríveis como a aparição imediata do Superman quando Lois é jogada do prédio (para mim a pior parte, sendo que ele estava no Everest) e a frouxa trama do confronto que envolve o sequestro da mãe do Superman/Clark Kent. Confronto esse que também foi criticado por ser rápido. Mas acho que foi correto pois não iriam ficar uma hora lutando.


Assim o que fica é um filme ainda divertido mas que poderia realmente ser um pouco menos livre dessas falhas de roteiro. Zack Snyder continuará no comando do universo DC. Principalmente com a bilheteria mundial gigantesca que o filme conseguiu independente das críticas. E o que se espera daqui pra frente? Espera-se filmes mais fáceis de serem feitos pois irá pegar uma trama mais fechada, com o arco do vilão Darkseid conhecido dos quadrinhos e maior inimigo da Liga da Justiça. E para os haters de plantão deve haver uma maior suspensão de descrença pois não é um projeto realista que foi o que Nolan fez com a trilogia Dark Knight. É uma nova apresentação desse universo que julgo que começou bem apesar de tropeços. E que os novos roteirista amarrem melhor as pontas soltas. Assim estão programados os seguintes filmes da DC até 2020:

“Suicide Squad,” (2016)

“Wonder Woman,” (2017)

“Justice League Part One,” (2017)

“The Flash,” (2018)

“Aquaman,” (2018)

“Shazam” (2019)

“Justice League Part Two,” (2019)

“Cyborg,” (2020)

“Green Lantern” (2020).


Até a próxima !


Nenhum comentário:

Postar um comentário